Destaque!

A Projeciologia

Apresentamos nesta página alguns trechos do livro Projeciologia: Panorama das Experiências da Consciência Fora do Corpo Humano. 

Waldo Vieira (1932-2015), propositor da Ciência Projeciologia vivenciou projeções conscienciais, espontâneas e provocadas, de todos os tipos desde os 9 anos de idade, totalizando mais de 1.100 projeções lúcidas autoanalisadas até março de 1985. (VIEIRA, 2008, pág. 1).

Segundo Vieira, a Projeciologia (Latim: projectio, projeção; grego: logos, tratado) é a Ciência que trata da passagem da consciência intrafísica, ou extrafísica, para o estado projetado, e das condições da consciência neste estado. Ciência humana que investiga as projeções energéticas da consciência – através do corpo energético – e as projeções da própria consciência – através do psicossoma e do mentalsoma – para fora do corpo humano, ou seja, das ações da consciência operando fora do estado de restringimento intrafísico cerebral e de todo o corpo biológico (VIEIRA, 2008, pág. 44).

Apesar de o fenômeno da projeção consciente ser conhecido há milênios, a Projeciologia é área de estudo relativamente nova, ainda em desenvolvimento, porque a pesquisa sistemática quanto a ela é recente. Em razão disso, mantém considerável número de lacunas em seu campo científico que, certamente, serão completadas, com o passar do tempo pelo acúmulo das investigações e criteriosa análise técnica (VIEIRA, 2008, pág. 44).

A projeção consciente humana é a experiência peculiar de percepção do meio (ou ambiente), seja espontânea ou induzida, na qual o centro de consciência de alguém parece se situar em uma locação espacial separada do próprio corpo humano vivo (soma respirando). É a passagem da consciência do estado intrafísico para o estado projetado (VIEIRA, 2008, pág. 107).

Para o propositor da Projeciologia existem nove primeiras perguntas clássicas que se fazem comumente, quando da abordagem inicial de qualquer assunto novo, podem ser assim respondidas, de maneira resumida, quanto à projeção consciente em geral:

  1. Quem produz a projeção consciente? Os princípios conscienciais, mais particularmente as consciências intrafísicas e extrafísicas (dimensões extrafísicas, intermissões).
  2. O quê constitui ou gera a projeção consciente? A descoincidência, em percentual maior ou menor, dos veículos de manifestação da consciência (holossoma).
  3. Onde se produz e se desenvolve a projeção consciente? Em qualquer distrito ou ambiente do universo físico, e parte do universo extrafísico, onde se manifeste a consciência.
  4. Quando se produz a projeção consciente? A qualquer hora e em quaisquer condições meteorológicas, porque o fator tempo e a meteorologia não influem necessária e diretamente sobre a produção da projeção consciente.
  5. Por que se produz e se desenvolve a projeção consciente? Pela própria natureza íntima da fisiologia e da parafisiologia normais dos veículos de manifestação da consciência, quando esta, temporariamente, muda de estado consciencial.
  6. Com que se deve produzir a projeção consciente? Inicialmente empregando o psicossoma.
  7. Como se produz a projeção consciente? Através da alteração das frequências vibratórias ou energéticas dos veículos de manifestação da consciência.
  8. Para que se produz a projeção consciente? Tendo como escopo inúmeros objetivos, ou variadas utilidades, conforme a projeção consciente seja produzida voluntária ou involuntariamente.
  9. O quanto se deve produzir de projeção consciente? Até o ponto de não causar problemas à vida humana, cotidiana, do projetor(a) consciencial, evitando-se, assim, a alienação quanto à existência física ou à proéxis.

Outro aspecto importante das projeções conscientes são algumas ocorrências básicas, comuns, que as pessoas experimentam, de modo espontâneo, e demonstram, em muitos casos, certa relutância em divulgar em função das repressões e condicionamentos sociais (VIEIRA, 2008, pág. 109):

  1. Autoprojeção. Sentir a consciência (ego, autolucidez) sair do corpo humano (soma): projeção consciente (PC) propriamente dita.
  2. Primoprojeção. Passar por essa experiência de sair do corpo humano, com lucidez, apenas uma vez: primeira projeção consciente (primoprojeção).
  3. Autodescoincidência. Sentir a separação da consciência em relação ao próprio corpo humano para uma curta distância: projeção na base física.
  4. Autolocalização. Sentir estar acima do próprio corpo humano: autolocalização extrafísica.
  5. Autobilocação. Veropróprio corpo humano abaixo de si (autobilocação consciencial).
  6. Autotranslocação. Sentir estar se deslocando para um ponto distante sem usar o corpo humano (autotranslocação extrafísica).
  7. Paravisão. Convencer-se de ser capaz de observar, de visu, in loco, o que se passa à distância do próprio corpo humano: visão extrafísica (paravisão).
  8. Telecinesia. Produzir efeitos físicos fora do corpo humano, sem utilizá-lo, o que só acontece ocasionalmente (telecinesia extrafísica, chamada por alguns pesquisadores de psicocinesia).
  9. Bilocação. Fazer com que outras pessoas vejam você, na condição de experimentador(a) projetado, o que ocorre muito de raro em raro (bilocação física propriamente dita).
  10. Autoaparição. Fazer com que a consciência projetada apareça, quando sentida ou percebida à distância por outras pessoas, através de meios que não a presença física, densa, o que só acontece também muito raramente (aparição intervivos; telepatia extrafísica).
  11. Autopersuasão. Ter certeza de que realmente viajou fora do corpo humano de algum modo (autopersuasão projetiva quanto aos fatos e vivências).
  12. Autoconfirmações. Comprovar a autenticidade da própria projeção extracorpórea ,lúcida, para si mesmo, depois do cotejo minucioso dos locais, fatos, seres e horários do que viveu à distância, sem o corpo humano: autoconfirmações posteriores à projeção consciente

Waldo Vieira destaca que a projeção consciente não é artigo de fé, nem apenas tema para debate religioso, pretexto para observações filosóficas, ou processo de enriquecimento das meditações dos poetas e das obras dos literatos. A projeção consciente é a prova individual para a consciência intrafísica que oferece ao interessado ou interessada, no mínimo, 4 megadesafios, evidências definitivas ou múltiplas para começar as suas pesquisas ou experimentos pessoais, prioritários e extremamente recicladores da programação existencial (proéxis) (VIEIRA, 2008, pág. 110):

  1. Multidimensões. A existência do mundo extrafísico ou das dimensões extrafísicas além desta dimensão do oxigênio (multidimensionalidade existencial), um dos megadesafios enfrentados pelas escolas filosóficas.
  2. Multicorpos. A existência dos próprios veículos de manifestação consciencial, além do soma (holossoma) com a perda do medo da morte ou tanatofobia, um dos megadesafios das áreas de pesquisas da saúde humana.
  3. Multiexistências. A comprovação pessoal da teoria das vidas sucessivas ou seriéxis, através das projeções retrocognitivas, um dos megadesafios de muitas religiões, seitas e teologias em todos os tempos.
  4. Multipopulações. A comprovação do fato da habitabilidade de outros mundos ou planetas (multipopulações extraterrestres), um dos megadesafios que a Astronomia sempre enfrentou.

O livro Projeciologia: Panorama das Experiências da Consciência Fora do Corpo Humano objetiva 6 finalidades evidentes (VIEIRA, 2008, pág. 2):

  1. Guia. Funcionar como guia introdutório para o leitor não-familiarizado com o assunto.
  2. Sistematização. Colaborar na sistematização dos achados técnicos no campo experimental e fornecer alguma orientação para quem se disponha a produzir a projeção consciencial lúcida pela primeira vez sem maiores preconceitos e neofobias.
  3. Respostas. Responder, dentro das possibilidades do momento, às indagações daqueles que já experimentaram o estado da consciência projetada com lucidez e desejam evoluir nessa área em conhecimentos correlatos e aplicações eficientes.
  4. Pesquisas. Propor novas questões, ainda sem respostas, para trabalhos posteriores, pesquisas teóricas e experimentais (técnicas), podendo contribuir para uma desejável aproximação entre especialistas até agora trabalhando independentemente e de modo isolado, aqueles pesquisadores(as) que prosseguem na ignorância dos esforços de outros pesquisadores.
  5. Subsídios. Prestar auxílio, oferecer subsídios e sugestões aos estudiosos, professores e acadêmicos das Faculdades de Parapsicologia, Centros de Psicologia Transpessoal, instituições dedicadas às pesquisas dos sonhos lúcidos, notadamente aos Centros de Investigações Científicas da Consciência (Conscienciologia) e às Unidades do IIPC, apesar da inconveniência inevitável deste levantamento ser intencionalmente massudo demais. Por exemplo: este livro (calhamaço) não é apropriado para ser lido com o leitor(a) deitado na cama.
  6. Bibliopolas. Cooperar – através da bibliografia – com bibliófilos, bibliotecários, editores, livreiros, impressores, enciclopedistas, ciberneticistas, informatas e até mercadores de livros internacionais de todas as naturezas e procedências (bibliopolas).

Se você se interessou pelo tema clique para acessar o livro digital Projeciologia: Panorama das Experiências da Consciência Fora do Corpo Humano.

Visite o Glossário da Conscienciologia e conheça as terminologias usadas pelas neociências Projeciologia e Conscienciologia.

Referência:

Vieira, Waldo; Projeciologia: Panorama das Experiências da Consciência Fora do Corpo Humano; revisores Alexander Steiner; et al.; 1.254 p.; 18 seções; 525 caps.; 150 abrevs.; 17 E-mails; 1.156 enus.; 1 escala; 1 foto; 3 gráfs.; 42 ilus.; 1 microbiografia; 1 sinopse; 2 tabs.; 15 websites; glos. 300 termos; 2.041 refs.; alf.; geo.; ono.; 28 x 21 x 7 cm; enc.; 10a Ed.; Associação Internacional Editares; Foz do Iguaçu, PR; 2008.